Imprensa

Release do projeto

Já está disponível para baixar o álbum Mestres no Estúdio, gravado pelo grupo de cantorias populares Balaio de Minas, de Três Corações, com participação de cinco mestres de cultura popular da região Sul de Minas. O disco é resultado da pesquisa de história oral promovida pelo Ponto de Cultura Museu da Oralidade, da Viraminas Associação Cultural, com financiamento do Fundo Estadual de Cultura. Edinho do Samba, mestre de bateria da Escola Acadêmicos do Morro, de Três Corações; Maria Roxinha, rezadeira de Cambuquira; Vicente Lima, do grupo de catira São Bentense, de São Bento Abade, Jaime Darcy e Mestre Adair, da Folia de Reis Tira Couro, de Três Corações; e Mestre Albino, do Congado de Cambuquira são os ilustres convidados do projeto.

Cada um dos mestres recebeu a visita da equipe de pesquisa. Em casa, e com apoio de familiares, relembraram memórias e contaram trechos vividos nos grupos de cultura popular dos quais participaram. As histórias deram origem às composições, de autoria do músico Ronildo Prudente, que fazem alusão às narrativas de cada mestre. “Foi um trabalho de pesquisa profundo, com muita prosa boa. Eu, que gosto muito de café com bolo, aproveitei para lembrar da minha avó”, diverte-se o compositor.

Cada entrevista resultou em cerca de duas horas de áudio, que foram transcritas para serem estudadas pelo grupo, até darem origem às letras e melodias. Os ritmos também fazem referência às manifestações das quais os mestres fizeram parte, como o Terço de São Gonçalo, celebrado durante anos pela família de Maria Roxinha, a Catira, o Samba-Enredo, a Folia de Reis e o Congado. As canções foram gravadas no Canaviá Estúdio, espaço comunitário de registro fonográfico do Museu, com participação dos mestres e uso de softwares livres. “Nem todos puderam nos visitar, então fizemos questão de levar o estúdio até eles. Foi o caso da Catira, gravada pela família inteira de seu Vicente”, relembra o músico e produtor musical Utta.

O Museu da Oralidade é um projeto com dez anos de funcionamento e, apesar da trajetória, é um projeto em constante reconstrução. “A história oral é uma metodologia fantástica para se revelar e preservar as tradições. Cada pesquisa que realizamos nos traz um material inesgotável, que nos incentiva ainda mais a prosseguir com os registros”, conta a pesquisadora Andressa Gonçalves.

imagens

Mestre Albino, do Congado, de Cambuquira, recebendo a visita do projeto Museu da Oralidade
Mestre Albino, do Congado, de Cambuquira, recebendo a visita do projeto Museu da Oralidade

roxinha-4

Mestre Vicente Lima, da Catira de São Bento Abade, ao lado de Andressa Gonçalves, do Museu da Oralidade
Mestre Vicente Lima, da Catira de São Bento Abade, ao lado de Andressa Gonçalves, do Museu da Oralidade
Edinho Silva, mestre da escola de samba Acadêmicos do Morro, de Três Corações
Edinho Silva, mestre da escola de samba Acadêmicos do Morro, de Três Corações
Os mestres de Folias de Reis Jaime e Adair, da Companhia Tira Couro, de Três Corações
Os mestres de Folias de Reis Jaime e Adair, da Companhia Tira Couro, de Três Corações

Onde baixar

Mestres no Estúdio

Informações para imprensa

Paulo Morais (35) 98804-7719
paulo @ viraminas.org.br