Edinho do Samba, Jaime e Adair: os depoimentos que faltavam

Nas últimas semanas, o projeto Mestres no Estúdio registrou outras duas memórias, encerrando a fase de coleta de depoimentos. Foi a vez dos mestres Edinho, da escola de samba Acadêmicos do Morro; e de Jaime e Adair, ambos da Companhia de Reis Tira Couro. Os três moram em Três Corações, onde foram gravadas as entrevistas.

Edinho lembrou durante duas horas de conversa a época em que as escolas de samba eram moda no interior. Os desfiles na cidade tinham disputa, apuração e tudo mais. A rivalidade entre famílias politicamente e economicamente influentes também aparecia na competição, com alguns patrocinando uma ou outra agremiação. Jajumô, Anhanhoa, Por Acaso e Imperatriz Rioverdense eram as rivais da Acadêmicos. Em alguns anos, no entanto, houve parcerias para formar um só desfile, como lembrou.

A conversa com Jaime e Adair teve início com a folia de reis mas não ficou só nisso. Os dois lembraram muito da época dos desafios, em que era moda disputar um repente nos bailes. Ao som da viola, tocada por Adair, Jaime mostrou como eram os versos. A rima de um repentista abre margem para a resposta do adversário, e os dois duelam até que um engasgue ou desista. Seu Jaime garante que era difícil ganhar dele.

Este slideshow necessita de JavaScript.